ÚLTIMAS NOVIDADES

Artigos em Destaque

Artigos em Destaque

ARTIGO EM DESTAQUE

DIGRESSÃO 'SIC DE TODOS NÓS' – 18 E 19 DE AGOSTO – CASTELO BRANCO | CAMPO MÁRTIRES DA PÁTRIA

  Publicado às: 03h34


"DESTINO BRASIL" e "BYE BYE BRASIL", na próxima 'Grande Reportagem SIC', na SIC

sábado, 25 de abril de 2015



Em vésperas do desfecho de mais uma tentativa de privatização da TAP; no momento em que os pilotos se preparam para o início de uma greve de 10 dias, a SIC emite, a 29 e 30 de abril, duas grandes reportagens sobre o estado da companhia aérea.





É lançada a dúvida: durante os 15 anos de Fernando Pinto na liderança, a TAP cresceu ou inchou, como defendem os críticos do administrador brasileiro?

A TAP cresceu em passageiros transportados, ultrapassando os 11 milhões por ano, aumentou a frota e as rotas, mas perdeu valor material. Nos últimos sete anos, o grupo TAP afundou 740 por cento, chegando aos 512 milhões de euros de capital próprio negativo.

A empresa cresceu, sobretudo para o Brasil, transformando-se na única companhia aérea de bandeira a voar para 12 cidades, ou seja, voa para todas as regiões do país. Fernando Pinto transformou o aeroporto da Portela numa plataforma giratória (hub) da TAP, que, através da frota de médio curso, recebe e distribui milhares de passageiros por semana, a maioria com destino e origem no Brasil.

O Brasil, a crescer menos do que as previsões, representa já um quarto do negócio da TAP. A expansão para o Brasil começa, exatamente, com a compra da empresa de manutenção da VARIG, a VEM. Um negócio pensado e concretizado em 2005, pela administração de Fernando Pinto. Um negócio que, em dez anos, acumulou 500 milhões de euros de prejuízo. As razões do grande buraco financeiro do grupo TAP devem ser encontradas, desde logo, na TAP ME BRASIL. Mas também no handling, a assistência em terra da Ground Force. A empresa acumulou 151 milhões de euros de prejuízo, suportados, integralmente, pelo grupo TAP.

A companhia aérea portuguesa atravessa hoje uma dramática crise de liquidez. Se não for privatizada terá de ser profundamente reestruturada.


Reportagem Pedro Coelho e Luís Pinto (imagem);

Edição de Imagem Ricardo Tenreiro;

Grafismo Alexandre Ferrada e Luís Bispo;

Colorista José Dias;

Pós-produção áudio: Octaviano Rodrigues e Alexandre Santos;

Produção Diana Matias e Renata Sousa Cardoso (estagiária);

Coordenação Cândida Pinto;

Direção Alcides Vieira e Rodrigo Guedes de Carvalho.


1ª Parte: Quarta-feira dia 29 de abril: 'DESTINO BRASIL', na 'Grande Reportagem SIC', no 'Jornal da Noite na SIC.

2ª Parte: Quinta-feira, dia 30 de abril: 'BYE BYE BRASIL', na 'Grande Reportagem SIC', no 'Jornal da Noite na SIC.

0 Comentários:

Enviar um comentário

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Deixe um comentário na caixa do facebook!

 
SIC GOLD ONLINE – SIC Sempre GOLD © 2017 | Designed by Bubble Shooter, in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions